Escolhendo um carrinho de Bebê - Dicas de Enxoval, primeira parte.

por 04:43 3 comentários
* Reedição atualizada da postagem de 12.05.2013.

Chegou a hora de trazer mais um pouco do antigo blog para cá, assim mesmo, fora do dia certo em que costumo postar... Estou aproveitando "brechas" nas semanas para fazer isso - infelizmente, nas duas últimas sextas, assuntos muito tocantes e importantes me levaram para reflexões mais profundas, e essa postagem permaneceu no limbo na semana passada. Agora vou reeditá-la e atualizá-la, porque mulheres seguem se descobrindo mães e, em consequência, continuam se assustando com a famigerada lista de coisas que o bebê supostamente vai precisar...

Esse, então, é o momento de lembrar das mamães planejantes!

Sempre que uma amiga me faz a pergunta - assim direta - sobre qual carrinho deve comprar, me vejo em uma situação difícil. Diferente do que acontece com outros itens, essa é SEMPRE uma resposta polêmica. Basta uma pesquisa rápida no Google para notar que simultaneamente mães AMAM e ODEIAM o mesmo carrinho de bebê. Mesmo agora, para reescrever essa postagem, perguntei a muitas mães sobre seus carrinhos e não há a mínima unanimidade.

Qual é o problema das listas gigantescas de enxoval? Porque algumas pessoas consideram inútil algo que outros consideram tão essenciais?

Para começar, apresento a regra básica para dissecar as listas de enxoval que são entregues nas lojas: faça escolhas adaptadas para a sua realidade. Não é difícil - basicamente se trata de fazer um exercício de imaginação, visualizando-se tentando usar aquele item no futuro. Se a mãe não se vê usando o item, não deve comprar; se tem dúvidas, pode adiar a compra, e deixar para avaliar a necessidade depois que o bebê chegar... Aqui as mães planejantes esbarram no problema do tal enxoval no exterior.

Eu fiz meu primeiro enxoval no Brasil, porque engravidei no auge do desespero generalizado com a H1N1... Já no segundo enxoval ,eu fiz algumas comprinhas em NY. Mas pouquíssima coisa da minha lista batia com o que se usualmente sugere às gestantes!

Curiosos? Esse tema eu quero abordar em outra postagem, porque sei que a primeira coisa que todo mundo pensa quando decide fazer o enxoval, dentro ou fora do país, é uma só:

O carrinho de bebê.

1. Todo carrinho, assim como o enxoval, é uma escolha sobre a sua própria vida.

Parece filosofia de botequim, mas se a mãe não parte dessa máxima quando faz suas compras, além de comprar coisas desnecessárias -  o que inevitavelmente acontecerá, pois ninguém tem bola de cristal para saber como será a vida do bebê no primeiro ano - ela sentirá culpa por ter comprado coisas que não usou. Não existe, assim, a lista perfeita, o enxoval todo usado exaustivamente pela mãe e pelo bebê.

Quando se está fazendo o enxoval em seu próprio país, a melhor solução é ir com calma, comprar apenas o essencial e testar aos poucos alguns itens. Mas comprando fora, algumas coisas precisam ser antecipadas, pois o preço muitas vezes BEM mais acessível compensa eventual pouco uso que se faça da peça.

A solução, assim, é pensar bem antes de começar a escolher os itens. A Carol, do blog Bebê com Estilo, montou um questionário (eu adorei a ideia!) sobre aquilo que você espera do seu carrinho. A postagem saiu do ar, mas vou manter os créditos do texto!

Essas são as perguntas que ela fez:

"Para escolher o tipo que será mais apropriado para você, deve-se levar em consideração alguns pontos:
Qual a idade do bebê? Recém nascido ou maior que um ano?
Quanto você quer pagar?
Você anda mais a pé ou de carro?
Pretende caminhar ou correr com o bebê no carrinho?
Precisa de um carrinho para terrenos regulares ou não, como grama, terra, etc?
Tem mais filhos pequenos? Quer leva-los juntos no mesmo carrinho ou ter um step (um apoio onde a outra criança vai em pé)?
O carrinho tem compatibilidade com o bebê conforto? (altamente recomendável para recém nascidos).
A barra de direção ajusta  a altura?
Qual o tamanho e o peso do carrinho? Não se esqueça de checar e comparar estas informações!
É fácil para fechar e abrir? O ideal é ver na prática.
O assento é reversível? Permite que o bebê vá olhando para a mãe e olhando para a rua?
O assento reclina bem?
Tem espaço embaixo para sacolas/compras?
É fácil de manejar, gira bem?"

Imaginemos que a mãe deseja todos os itens postos nas perguntas em um mesmo carrinho... Não encontrará. Aí é que está o grande problema dos carrinhos. Definitivamente não existe o carrinho perfeito. O carrinho perfeito para alguém pode ser um péssimo carrinho para você. O perfeito para mim pode não ser perfeito para o meu marido, ou até mesmo para o meu bebê, e mesmo achando ele ótimo, posso acabar concluindo que ele não é perfeito para o meu modo de vida.

Ademais, como disse bem a Shirley no blog Macetes de Mãe, em postagem cuja leitura recomendo demais, o problema é que não dá para o fabricante de carrinhos conciliar duas coisas que são totalmente antagônicas: se o carrinho é super confortável, espaçoso, dificilmente será leve.

Como resolver esse dilema?

Priorize. Anote, dessa lista de perguntas, aquilo que considera essencial para o seu modo de vida. E acrescente essas:

A partir de que idade da criança você REALMENTE sairá de casa (acredite, é muito difícil sair com eles antes dos 3 meses)?
Você terá pessoas por perto dispostas (ou mesmo ansiosas) para pegar o bebê no colo?
Pretende viajar com o bebê? Viagens de avião ou de carro?
Qual é o tamanho do porta-malas do seu carro?
Quando você for fechar o carrinho, haverá sempre alguém ao seu lado, ou você acredita que estará algumas vezes sozinha com o bebê?
Você já tem um primeiro filho? Ele aceita sentar no carrinho, ou é avesso a ele?
Seu filho dormirá no carrinho? Em que momentos? Em casa? Nos passeios?

Quando você descobrir mais ou menos qual é o seu perfil, qual seriam os itens do carrinho que são primordiais ao seu modo de vida e quais você poderia contornar, passe para o item 2.

2. Passeando pelos diferentes modelos e características.

Os carrinhos de bebê parecem uma coisa simples de escolher, mas a variedade mais atrapalha do que ajuda. O meu primeiro carrinho, que eu chamava carinhosamente de "trambolhão", foi comprado em razão da cor charmosa verde-musgo e porque a vendedora me disse que aquele era o mais leve que existia (#NOT). Ah, e também fui amplamente influenciada por ter uma grande amiga comprado um igual, 

Na verdade, falar em carrinhos de bebê é entrar em uma série complexa de características e categorias de fazer qualquer mãe planejante PIRAR. Para preservar a sanidade mental das cabecinhas tão cheias de hormônios, lá vai a melhor sistematização que consegui delas.

Excluídas as "subcategorias" (cada fabricante acha belo criar mais uma), os carrinhos são basicamente divididos em:

* Carrinhos de passeio - Também chamados de Guarda-chuva ou Umbrella e Lightweight. É preciso cuidado ao escolher esse carrinho, porque muitos fabricantes de "trambolhões" chamam seus monstrinhos de "carrinhos de passeio". Todavia, basta estar atento ao peso do produto - eles devem ser bem mais leves que os outros - e ao fechamento - normalmente os carrinhos de passeio têm o chamado "fechamento pantográfico", mas eu ficaria atenta à palavra "guarda-chuva" (Umbrella, em inglês), que é a pedra de toque dos carrinhos verdadeiramente de passeio. Muitos reclinam complemente o assento, mas normalmente quanto mais o carrinho reclinar, mais pesado ele será... É preciso avaliar bem.

* Carrinhos tradicionais ou full size - São as Ferraris dos carrinhos, confortáveis, com bastante recline e acessórios. Normalmente fecham como uma folha de papel sendo "dobrada" ao meio, e por isso é chamado de fechamento Envelope. Normalmente têm muito conforto, mas são pesados e grandes.

* Carrinhos Jogger - Esse é o nome dado a carrinhos com três rodas muito parecidas com pneus,  indicados para terrenos muito acidentados, ou para corridas com o bebê. Muitos não fecham, ou fecham muito mal. A maioria reclina pouco. Existem hoje carrinhos com três rodas que NÃO são considerados próprios para "jogging", apenas incorporaram o design esportivo.

* Carrinhos duplos ou triplos - Normalmente indicados para gêmeos, mas têm sido muito usados por pessoas com dois filhos. Já existem carrinhos específicos para mães com filhos em idades diferentes, inclusive.

Atreladas às categorias temos duas vantagens que são associadas aos carrinhos: os Travel Systems, que nada mais são do que o conjunto de carrinho e bebê conforto vendidos juntos, sendo que nos Travel Systems necessariamente o carrinho contém travas para afixar o bebê conforto na estrutura com segurança. 

A vantagem de montar um Travel System são duas: um, o bebê ficará mais confortável no bebê conforto nos primeiros meses, e muitos carrinhos não podem ser usados por bebês com menos de seis meses, normalmente por conta do recline. Dois, é bem prático tirar o bebê conforto do carro e simplesmente colocar ele sobre o carrinho, sem precisar soltar o bebê de um deles para prender no outro.

É legal observar que os itens do Travel System podem ser vendidos separadamente, não sendo obrigatório comprar o conjunto. Atualmente a maioria das marcas oferece a possibilidade de montar o sistema entre os diferentes modelos de seus carrinhos e seus bebê-confortos. Basta verificar, no anúncio, a compatibilidade entre eles.

Outra forma de apresentação do carrinho é a estrutura metálica "descolável" do assento, ou até vendida sozinha, para que nela se encaixe apenas o bebê conforto. É uma variação do Travel System. A vantagem dessa apresentação é que a estrutura sozinha pesa algo em torno de 5 a 7 kg, e os bebês confortos costumam ter de 3,5 a 6 kg nos EUA. Desse modo, ao invés de levar o carrinho, leva-se apenas a estrutura metálica e o o bebê conforto (essencial para o transporte do bebê em veículos). O único senão da estrutura sem assento é o tempo de uso: o bebê conforto é usado apenas até os 12 meses. No entanto, pode ser uma forma interessante de transportar o bebê, já que depois de um ano de idade o bebê pode apenas ser passado para um carrinho lightweight. As estruturas metálicas custam em média 100 a 120 dólares, e um carrinho lightweight para a fase 1 a 3 anos custa entre 50 e 150 dólares. A Chicco, a Graco e a Maxi-Cosi comercializam estruturas assim.

Tudo depende do que melhor se encaixa com a vida diária!

3. Multi-sistemas.

Alguns itens parecem um excelente negócio, mas eu, particularmente (ainda que sinta a magia da sedução envolver meu espírito quando vejo os anúncios...) acho que pode ser uma desnecessária perda de dinheiro.

O mais sedutor deles é o "multi-carrinho". Eles vêm com a estrutura metálica e os diferentes assentos que se encaixam nela, como um "Mega-Travel System". Normalmente incluem um Bassinet (os Moisés), além do bebê-conforto e do assento do carrinho. O Pliko, da Pég Pérego, e o Bugaboo vendem sistemas assim.

A ideia é excelente. O grande problema deles é o espaço. Sim, é preciso lembrar que a cadeira de alimentação, o bebê conforto, o carrinho, o ginásio de atividades e o Swing, todos os itens ocupam espaço em sua casa... Ainda que abra não de todos eles para usar apenas o multi-sistema, é preciso avaliar também que não valerá a pena vender/dar uma das peças separadamente, de modo que poderá ficar com parte do sistema parado em casa, ocupando espaço, até que o carrinho seja liberado.

São reflexões sobre o próprio uso do espaço que não custa fazer ao adquirir um produto que, definitivamente, não é barato...

4. Como analisar cada um deles e alguns exemplos.

Na postagem de 2013 eu listei uma infinidade de marcas, com fotos e até vídeos de cada um dos carrinhos interessantes existentes no mercado, Hoje, são tantas marcas e possibilidades, que prefiro não fazer isso, até como forma de deixar a postagem atemporal. 

Vou apenas comentar algumas das principais marcas, e depois, falar daqueles que experimentei.

A Graco tem carrinhos muito confortáveis, todos compatíveis com seus bebê-confortos. Os FastAction Fold fecham por uma alça localizada no assento, o que é BEM prático e simples. A maioria deles, entretanto, tem o fechamento envelope, e são bem pesados (o FastAction Fold Classic Conect, por exemplo, apesar de ser chamado em alguns sites de lightweight, pesa 10,5 kg. Alguns chegam a pesar 16 kg, como é o caso do Graco FastAction Fold Jogger Click Connect).

O FastAction Fold da Graco


Diversos outros carrinhos têm conforto e beleza, mas esbarram na falta de praticidade do PESO... Fiz uma pequena lista, com os nomes e modelos e seu peso:



Inclui esse "resumo" das características de algumas marcas apenas para não perder a pesquisa - mas é algo muito simples de fazer. O site do Amazon inclui muitas fotos de cada modelo, incluindo dados como o peso e a capacidade. No site YouTube é possível encontrar vídeos com "reviews" de todas as marcas disponíveis, inclusive de usuários. As possibilidades são inúmeras.

5. Os meus favoritos.

Deixando claro, mais uma vez, que a escolha do carrinho é algo muito pessoal, vou registrar aqui quais são as minhas escolhas pessoais...

Para começar, eu acho o fechamento pantográfico ou "guarda-chuva" a escolha ideal. Ainda que haja espaço na casa e no carro para o carrinho com fechamento envelope, gosto sempre de lembrar que, em uma viagem, não será apenas o carrinho a ocupar o bagageiro - haverão as malas, e toda a tralha que acompanha a criança... Um carrinho-passeio nessas horas é uma benção...! Além disso, quando começam a andar, muitas crianças querem alternar caminhadas com o carrinho, e nessas horas ter uma estrutura mais leve é um diferencial.

É muito importante olhar o peso do carrinho. Ainda que ele se apresente como passeio ou lightweight, muitos pesam o mesmo ou até mais que os tradicionais. É preciso estar atento à descrição do produto ou na caixa/manual.

Outro item aparentemente bobo que precisa ser observado é a "capota" (em inglês, canoply). A maioria dos carrinhos-passeio têm uma cobertura curta, o que é meio chato nos dias de sol ou chuva. Existem, entretanto, acessórios para sanar esse problema, dos quais falarei adiante.

Existem carrinhos MUITO leves e leves. Os muito leves têm 5 kg ou menos, mas normalmente não reclinam ou reclinam pouco. Os leves têm entre 6 e 8 kg e reclinam bem. Acho esses o ideal quando a ideia é comprar um carrinho único, desde o início, pois eles também são mais resistentes.

Montar um Travel System com um carrinho-passeio é para mim a escolha ideal. Nos primeiros sete meses, quando a cabecinha do bebê está pouco firme, o ideal é usar o bebê-conforto encaixado ao carrinho.

Para isso, essas são as escolhas que faria hoje:

Chicco Liteway Plus: O Chicco Liteway já é considerado por mim um carrinho excelente, mas o modo de encaixe do bebê conforto na versão PLUS é muito boa. Ambos são carrinhos bem leves, com 6.8 Kg, e com cinco posições de recline. A versão Plus pode ser encontrada no Amazon e custa 180 dólares.



MacLaren Triumph: para mim é o melhor carrinho de passeio para meninos grandes - uma ótima opção quando só se pretende usar o carrinho após os seis meses. Tem multi-recline, as laterais fechadas (ótimo para a hora do soninho) e um bom cesto porta-objetos. Pesa 5.4 kg e suporta crianças até 25 kg. Custa em torno de 160 dólares.

Quinny Zapp Xtra Folding Seat: É a versão mais passeio do Quinny Buzz. Para mim ainda é a melhor escolha para quem pretende trazer dos EUA. Ele pesa 5 kg e suporta crianças até 22 kg. Custa 299 dólares no Amazon. É preciso estar atento para não comprar uma versão mais diferente do Mesmo Zapp Xtra, porque em alguns modelos é necessário retirar o assento antes de dobrar a estrutura, o que deixa bem mais complicado o uso.

Outra vantagem do Zapp Xtra Folding Seat é o fechamento único. Uma amiga contou que levou o dela fechado no compartimento de bagagem de mão do avião, porque a comissária não achou necessário despachar.

A demonstração em vídeo é sedutora:



Outra grande vantagem para mim do carrinho Quinny é que eles são compatíveis com os bebês-conforto da Maxi-Cosi, campeões em segurança no mundo todo - e, segundo o review no Babble.com, o modelo Mico AP é um dos mais leves no mercado americano.

Na postagem antiga eu dei algumas dicas de carrinhos nacionais bons e baratos. Infelizmente, ao atualizar a minha pesquisa, percebi que todas as marcas e modelos recomendados estão esgotados ou fora de linha... Um deles, o Linea Voyage, eu prefiro não recomendar mais porque quebrou antes do meu filho completar seis meses - valia a pena comprar ainda assim quando custava oitenta reais, mas hoje ele custa exatamente o dobro do preço, de modo que não sei mais se seria um bom investimento...

Poucos entre os carrinhos duplos eu tive a oportunidade de ver de perto... Sobre eles, apenas posso opinar que considero infinitamente melhor usar os carrinhos do que os conectores de carrinhos. Testei os conectores e simplesmente odiei...! Em lugares acidentados, eles simplesmente abrem com o impacto... É supercomplicado empurrar os carrinhos dessa forma. Testei em uma praça, dei uma volta e desisti.

Dentre os carrinhos duplos, recomendo o Aria Twin, da Peg Pérego (tem 9 kg e faz Travel System com o bebê-conforto da mesma marca).

Outras opções excelentes existem. Esses são apenas exemplos de bons carrinhos.

6. Acessórios para Carrinhos.

Quase todos os senões dos carrinhos podem ser resolvidos ou minorados com acessórios existentes no mercado.

Se a cobertura é pequena, por exemplo, um acessório excelente é o RayShade da Summer Infant, que protege o bebê dos raios solares e diminui a luminosidade:



Para os carrinhos com pouco espaço para copos e tralhas diversas, existem inúmeros formatos de organizadores de carrinho:

Usamos esse, da marca Muchkin, até hoje!


Outra opção que amamos por aqui foi o colchãozinho para o carrinho (em inglês, seat liner):




Capas de chuva, capa para proteção externa, mosquiteiros, guarda-sóis, ventiladores, ganchos para bolsa... As opções são muitas, que podem ser escolhidas de acordo com a necessidade de cada família.

No final, isso é o importante. Mãe, pai e o bebê ficarem felizes e confortáveis. Pouco importa se o carrinho comprado é a Ferrari ou o Volvo dos carrinhos. Selecione, anote as características, para não acabar com um objeto que não pode ser guardado em lugar nenhum da sua casa, ou pesado demais para que você possa usar sem acabar na fisioterapia. De resto, confie nos seus instintos, confie na voz que fala no seus ouvidos qual é o carrinho ideal para aquele bebê. Não existe o carrinho perfeito, você não estará perfeitamente satisfeita. Mas o carrinho é certamente o item mais presente nas nossas vidas, quando bem escolhido!

E eu, de coração, espero ter ajudado um pouquinho para essa escolha feliz!



Mamãe Inventa

Autora

Sou Helena, mãe de Heitor e Benício, duas criaturinhas mágicas no curso de seu quinto e segundo ano de vida, respectivamente, que fizeram de mim mais humana do que nunca, forte para matar mil feras e amável para cuidar de mil feridos. Sou mãe pelas vinte e quatro horas do meu dia. Desejo, incansavelmente, a paz mundial. Com gargalhadas.

3 comentários:

  1. Oi, querida! Parabéns pelo post! Amei! Queria saber a tua opinião sobre o carrinho travel sistem safaty first, conheces? Me pareceu bem bom, mas queria dividir com quem já tem mais experiência: ele tem 3 todas, reclina virando Moises, vem com bebê conforto, aça eh ajustável, as rodinhas tem um recuo evitando atropelos no caminhar e parece ser leve, 6kg. O Q achas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Camila!! Obrigada pela visita! Então, surgem novos modelos de carrinhos a cada nova geração, por isso tentei fazer um post BEM geral, que permita que cada um escolha o carrinho mais adequado à sua realidade... Especificamente sobre esse Travel System (estou deduzindo que você fala do Mobi Travel System, mais vendido no Brasil hoje, me corrija se eu estiver errada! rs), achei a opção de transforma-lo em moisés FANTÁSTICA, um bom recline já ajuda bastante nesse quesito, mas o bebê fechadinho é tudo de bom... O peso do bebê conforto é razoável (3.200 kg) - parece bobagem, mas seu filho ficará nele até algo em torno de 10 kg, e carregar 13 kg não é fááácil - e o fato da estrutura se encaixar nele ajuda bastante. No único site que achei com informações de PESO do carrinho, constava 10kg500g (suspeito que os 6 kg se refira só a estrutura, não?) - aí eu qse desmaiei, estava achei ele TUDO DE BOM, mas EU (aí entra aquele lance de cada um escolher conforme o que entende ser legal) não curti esse peso... Eu tive um carrinho duplo de 9.500 g e já apelidei de "trambolhão", qdo os meninos queriam andar e jogava tudo nele e usava de carrinho de compras... (risos) Duro é qdo precisamos fechar para subir uma escada, por exemplo... Mas aí entra a tua rotina, você estará sempre acompanhada com o bebê (ou só pra cima e pra baixo como eu)? Você tem elevador no edifício, escadas em casa? Como é o porta-malas do seu carro? Essa última pergunta é importante, porque esse carrinho fecha "folder", pelos meus cálculos (só vendo in locu para ter certeza) em alguns bagageiros não deve caber, ou ocupará ele todinho. Outra informação que também é relevante e não achei em nenhum dos sites que olhei: ele fecha COM o assento? Faz toda diferença abrir o carrinho com uma mão só (e a outra segurando o bebê) e já colocar ele ali ou ter que encaixar ainda o assento (sem falar que transportar o assento aberto faz mais volume). Ele parece "copiar" a lógica do Quinny, mas mesmo os Quinny são encontrados dos dois jeitos, fechando ou não com o assento encaixado, a depender do modelo... Enfim, DESCULPA frustrar sua empolgação, e também fiquei radiante quando comecei a ver... Conversa bastante com quem tem dele a um tempo (bebês com seis meses ou mais), e tenta encontrar na loja física, abrir, fechar, pede para testar no porta-malas do seu carro (não é mico nenhum, muita gente faz isso!), se imagine fechando e abrindo ele no dia-a-dia com o bebê, usando nos lugares que costumam ir (muitas pessoas andam em calçadas detonadas e PRECISAM de rodas resistentes, p exe!)... No mais, lembre-se sempre que trocar carrinho quando a criança cresce é algo muito comum, aqui em Curitiba as mães costumam deixar os travel systems nos brechós e sair de lá com um guarda-chuva super leve (e muitas vezes levam "um troco" na troca!) depois que a criança faz um ano para liberar espaço no porta-malas e aliviar a fadiga da coluna... Espero ter te ajudado e estou às ordens se tiver mais perguntas! Abraços e volte sempre! :)

      Excluir
    2. E tempo: achei as informações de peso nos sites das lojas Alô Bebê e Walmart! :)

      Excluir